quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Obediência, castigo, correção | Faça o que eu digo, não faça o que eu faço - parte 1

O autor inicia com a seguinte afirmação: "O fato de ensinar o Evangelho aos filhos de modo algum exime os pais da responsabilidade de educá-los para as questões não religiosas da vida".

Agregada a essa afirmação está a ideia de que não adianta ensinar a nossos filhos uma sabedoria profunda e depois levar uma vida que contradiz o que estamos ensinando. Assim foi Salomão, deu sábias instruções para seu filho, mas o seu exemplo anulou seus conselhos, pois sua vida era incoerente com seus ensinamentos. E não existe erro maior que um pai ou uma mãe possa cometer.

Precisamos lembrar que tanto a sabedoria prática quanto a espiritual estão intimamente ligadas, portanto, o foco adequado de toda a nossa instrução é sempre Cristo!

Então vamos lá ver 10 princípios presentes do Livro de Provérbios que nós como pais (e futuros pais) poderemos transmitir para os nossos filhos. Para que o post não fique muito longo, iniciarei com os 3 primeiros:

1) Ensine seus filhos a temerem o Deus deles: o temor ao Senhor não tem nada a ver com covardia ou medo, mas reverência e temor de desagradá-Lo! Somos apenas intermediários com a responsabilidade de ensinar nossos filhos a temerem a Deus. Se os nossos filhos crescerem temendo apenas desagradar a nós pais, mas não a Deus, o que eles farão quando não estivermos presentes? Poucas crianças hoje crescem com essa consciência...

2) Ensine seus filhos a protegerem suas mentes: monitorem o que eles veem e ouvem, principalmente nessa era da internet, não os deixe simplesmente soltos; não entregue o controle remoto da televisão e saia da sala. Não há problema em que eles tenham autonomia para escolherem o que querem ver, mas não deixe que eles façam essas escolhas totalmente livres de supervisão, pois somos nós que temos a responsabilidade de ajudá-los e direcioná-los para o que edifica e para longe do que não edifica. Lembrando que, por outro lado, o isolamento total também não é a solução, pois nenhum nível de isolamento poderá manter o coração de nossos filhos livre de qualquer tipo de contaminação. É preciso que os criemos para serem sábios e para terem discernimento. De nossos pensamentos vem nossa conduta. Por isso, nosso papel enquanto pais é de ajudar a programar a mente de nossos filhos com a verdade, bondade, fidelidade, honestidade, integridade, lealdade, amor e outras muitas virtudes.

3) Ensine seus filhos a obedecer aos pais: os pais precisam ensinar obediência aos filhos. Isso é uma das responsabilidades mais básicas e óbvias. Isso envolve disciplina e, quando necessário, castigo e correção. "Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo"(Provérbios 13:24). É importante destacar que os pais que administram castigo por pura fúria ou irritação, e não por amor, não encontram apoio para esse tipo de atitude em qualquer parte da Bíblia. O autor chega a afirmar que rotular o mau comportamento crônico com um nome clínico e usar isso como uma desculpa para atitudes pecaminosas é um grave erro. Dificuldade no aprendizado não é um problema moram, propriamente dito. A desobediência, crueldade com outras crianças e o desrespeito pelos adultos, sim! Não importa quais sejam os motivos para a má conduta da criança, a rebelião e a desobediência são definitivamente uma doença moral - o pecado!

Continuamos os outros princípios no próximo post...
Até logo!

Um comentário:

  1. Concordo em número, gênero e grau. Que todos os pais e futuros pais possam encontrar mais e mais ensinamentos sábios nas redes desse vasto e perigoso mundo virtual. Aguardando a sequência. Parabéns por compartilhar tamanho ensinamento. :D

    ResponderExcluir